Nossa História

Por volta de 1580, na Enseada de Santana, com a frente voltada para o mar, já existia uma ermida de taipa, coberta por palha. Foi erguida pelos padres da Companhia de Jesus para a catequese dos índios tupinambás. Depois, reconstruída em alvenaria, a Capela de Senhora Sant’Ana, teve a frente deslocada para a posição em que se encontra atualmente, no Largo de Santana.

Em 2 de novembro de 1852, a Capela do Rio Vermelho foi incorporada à Paróquia de Nossa Senhora da Vitória. Os veranistas, que criaram a Festa de Senhora Sant´Ana (1870) e a Irmandade da Gloriosa Senhora Sant´Ana do Rio Vermelho (1882), também foram os responsáveis pela criação da Paróquia de Sant´Ana do Rio Vermelho. O ato foi assinado em 5 de abril de 1913, por dom Jerônymo Thomé da Silva, arcebispo metropolitano de São Salvador da Bahia e primaz do Brasil.

Com a criação da Paróquia, a Capela de Senhora Sant´Ana foi elevada à condição de Igreja Matriz. E assim permaneceu até a inauguração da nova Matriz, erguida no local onde existiu o Forte do Rio Vermelho, numa das extremidades da Enseada de Santana, na Rua Guedes Cabral. Foi inaugurada em 26 de julho de 1967, dia da Padroeira do Rio Vermelho.