Homenagem a Sr. Ubaldo

Salvador, 25 de agosto de 2017

Amigo Ubaldo,

Como falar de perdas e seus significados, em especial quando vinculadas ao arrebatamento de uma pessoa tão especial e contextualizada na história desta comunidade, deste bairro e suas instituições, de alguém sempre tão ávido de novos conhecimentos? Foi com imenso pesar que nos despedimos no dia 16 de agosto no, Jardim da Saudade, do amigo Ubaldo Marques Porto Filho. Na sua simplicidade, Ubaldo tornou-se um amigo constante da Associação Cultural Hispano Galega Caballeros de Santiago, tendo participado ativamente da nossa vida cultural. Em julho de 2012 estivemos na Sessão especial da Câmara Municipal de Salvador numa homenagem aos 500 anos de nascimento de Catharina Paraguassú, comemoramos a vigência da Lei nº 8.272, instituindo o dia 26 de janeiro como o dia de Catharina Paraguassú, uma vitória pela qual ele muito lutou. Após a sessão histórica ocorreu o lançamento do livro “Catharina Paraguassú, Matriarca do Brasil” do pesquisador e escritor Ubaldo Porto, destacando a história de uma índia tupinambá que se casou com o navegador Diogo Alvarez Correa, o Caramuru, formando a primeira família cristã do Brasil.
Houve ainda o lançamento do livro “Cinco de Outubro – Dia de Caramuru”. A obra é um excelente registro das celebrações promovidas nos dois primeiros anos de vigência da Lei nº 7.774, de 15 de dezembro de 2009, que instituiu em Salvador o cinco de outubro como Dia Municipal de Caramuru. O material contém uma coletânea de discursos, palestras e pronunciamentos dos seus autores além de inúmeras fotografias. Contando com a participação e colaboração da Caballeros de Santiago, Casa de Cultura Carolina Taboada, Câmara Portuguesa de Comércio na Bahia, Associação Brasileira de Agências de Viagem (Abav-BA), Paróquia de Sant’Ana do Rio Vermelho, Biblioteca Juracy Magalhães Junior, Conselho de Cultura e Turismo do Rio Vermelho e Academia dos Imortais do Rio Vermelho, na pessoa do seu presidente Ubaldo Porto, entre outras. Através de vários livros, Ubaldo registrou a importância da tradicional família Taboada, de origem galega, com relevância para a Bahia e para Salvador, em especial o Rio Vermelho, bairro que elegeram para morar e onde ainda se fazem representar pelos seus descendentes, como o Sr. Nelson Taboada, diretor institucional de Caballeros de Santiago.

Incansável na promoção dos valores culturais da nossa Entidade, outro momento de extrema importância foi durante as comemorações dos 50 anos da Caballeros em 2010 que teve a sua participação ativa, sendo homenageado como Sócio Honorário da nossa Associação

Em maio de 2013, por iniciativa da Central das Entidades, a Caballeros foi sede de uma assembleia para apresentar e debater os projetos municipais para o Rio Vermelho e lá estavam Ubaldo e Padre Ângelo participando ativamente ao lado de representantes das diversas entidades do bairro, muitas das quais ele participava ativamente.

Num envolvimento cada vez maior com a instituição ao recebermos a visita do vice-presidente da Xunta de Galícia e do secretário geral de Imigração de Galícia, lá estava Ubaldo, obstinado, destacando a importância da localização da Caballeros ante a história de Caramuru, cujo único documento sobre suas origens registra que seja galego, ressaltando a Lei nº 7.774, de 15 de dezembro de 2009, que instituiu em Salvador o cinco de outubro como Dia Municipal de Caramuru. Procurando estreitar através da História laços mais próximos sugeriu a criação de um memorial e a possibilidade da criação de um caminho europeu trilhado por Diogo Álvares Corrêa selando tal fato. Registrando também o livro dos 100 anos da Paroquia Nossa Senhora de Santana, do Rio Vermelho, da História do 2 de Julho, da Estrada Real (Ferrovia da Bahia), dentre tantos outros títulos.

Com entusiasmo Ubaldo falava da sua infância na cidade mineira Ubá, das boas lembranças do período vivido com a família em Cachoeira, do seu carinho pelos amigos e Instituições, pois se considerava parte delas, e em especial a paróquia de Santana e do seu amor pela Família. Amante deste país e desta Bahia, seus olhos adquiriam um brilho especialmente contagiante ao falar do Rio Vermelho, o qual ele sentia como a sua grande e verdadeira casa. Com paixão ele relatava fatos sobre a história local com a intimidade peculiar aos grandes conhecedores, escutá-lo nessas ocasiões foi uma riqueza, pois nos fazia transcender imaginando essas cenas cobertas pelos séculos, porém reavivadas pela sua forma contagiante de relatá-las.

“Ser é fazer”.

Fomos brindados com a partilha de momentos profícuos com quem tinha em comum com a nossa instituição o entusiástico compromisso de manter viva a chama de amor por suas terrinhas. É, portanto, a cultura em sua dimensão ética e seu caráter mais abrangente a mola propulsora de toda a grandeza e excelência de Ubaldo.

A Associação Cultural Hispano Galega Caballeros de Santiago agradece o carinho e atenção com que sempre nos brindou.

Santiago Coelho Rodriguez Campo – Presidente e Diretoria
Associação Cultural Hispano Galega Caballeros de Santiago